06/11/16

esta noite sonhei com um abraço

Eras tu, outra vez: apareceste em minha casa, de surpresa e sentaste-te ao meu lado no sofá. 

Pediste-me desculpa; lembro-me de sentir vontade de chorar por estarmos ali, os dois sentados como se essa barreira invisível não se tivesse quebrado há muito tempo, como se não nos soubéssemos de cor - não sabíamos, sei-o agora. Mas quis chorar de saudades, quis chorar de frustração.

Acho que me beijaste, mas não me lembro bem. Lembro-me do abraço porque foi exatamente igual àqueles que me deste tantas e tantas vezes: longo, terno, cheio de carinho. Senti-o como se fosse real e acordei com um nó na garganta.

Tenho saudades da paz do teu abraço, dos teus beijos na testa. Da calma que sentia quando te via sorrir, da tua mão na minha. De ti.

1 comentário:

Zé do Pipo disse...

Os porcos sonham com bolota. lol