23/06/17

a land of confusion

Eu cá não sei, mas creio que o demo tem mão - ou um corno - nisto: de alguma forma, é sempre na altura de decidir que todas as certezas se tornam em dúvidas, que o mundo parece dar mil e uma voltas de uma só vez e damos por nós exaustos e sem saber muito bem onde pára a sanidade mental.

É assim que me sinto neste momento, mais coisa menos coisa. Não sei para onde ir, não sei o que escolher: reparo que fui guardando sonhos na manga e escondendo as decisões debaixo da almofada. Agora tenho de assistir ao confronto, o tête-à-tête final, os prós e os contras de qualquer caminho que eu escolha. Em boa verdade, a minha vida nunca bateu tão certo mas também nunca esteve tão desacertada; tenho o coração no sítio e a cabeça perdida. Fazer o quê?

Sinto-me em contra relógio: o que quer que eu decida, exige que seja rápida e que não me lamente no fim. Passo os dias a mudar de ideias e a sonhar com várias versões de um mesmo futuro: não sei para onde ir. Numa altura em que todos os caminhos me parecem certos e errados ao mesmo tempo, não faço a mais pequena ideia do que escolher.

E sento-me.
Amanhã penso nisso.

4 comentários:

Clementina disse...

Se hoje não é dia de pensar, amanhã logo pensas nisso. :)

ernesto disse...

Amanhã, sim :D

no one disse...

Senta-te a um canto e espera que a crise passe. Às vezes uma noite bem dormida resolve dúvidas melhor do que todas as decisões acertadas que tomemos. Acertadas, ou que pensamos ser acertadas. :)

ernesto disse...

Continua a marinar xD