domingo, 15 de abril de 2018

a melhor noite de sempre

Além de ter descoberto que uma moça que eu conheço anda a criar ovelhas e cabras na varanda lá de casa, no meio da cidade, ainda fui conhecer os dois pretendentes da minha (falecida) tia avó que, viúva, resolveu voltar a casar.

Não me lembro das caras dos senhores, mas sei que ambos usavam naperons na cabeça porque achavam bonito. 

Estou aqui um bocado chateada, porque ainda comecei a dizer à minha tia que aquilo lhe iria dar muito jeito para lhes meter uma jarrinha com flores em cima, no alto da pinha, mas acordei a rir às gargalhadas antes de saber o veredito final - aposto que escolheu o do naperon mais bonito.

2 comentários:

Gasper disse...

Ahah ou então o naperon do tamanho mais adequado à mesa da sala ;)

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e Outras disse...

Sempre é ótimo a liberdade de expressão, mesmo quando não se deseje expressar!... Gostei do "naperon", mas criar cabras na varanda é uma boa!... Dá para tratá-las a pão e leite ao abate. Grande abraço. Laerte.