27 de novembro de 2017

(mas se me quiserem pagar, gente do lidl, aceito contribuições monetárias)

Ao contrário da maior parte do mulherio, esta lontra não ficou com o pito aos saltos quando farejou a black friday e, não, não arrastou o fat ass para o shopping. Também não gastei o equivalente a três ordenados mínimos em compras online - não comprei nada, basicamente. Desculpem lá o desgosto, mas esta cinderela é pobre e forreta.

Ora, e estou a dizer-vos isto para quê? Para que vos seja mais fácil situarem-me no mundo da moda e para me tornar numa fashion blogger interessante e credível. Ou porque se deu um milagre de deus nosso senhor e a pessoa sente necessidade de partilhar estas coisas. Foi hoje.

Fui ao lidl, numa correria desenfreada pelo balde de iogurte grego, armada em bolt nos corredores, mortinha para chegar a casa e poder sentir-me, finalmente, livre de perigo de entrar em hipotermia a qualquer momento. E, portanto, esbarrei nelas.

Em boa verdade, já as tinha visto no folheto, tinha gostado mas não tinha sequer decorado a data da promoção - erro crasso. Eu, a fã número 1 do lidl. Eu, a pobretona que se veste num supermercado - não literalmente, calma -, quase perdi A Oportunidade.

Vi um monte de calças de ganga, e estas lá perdidas. Eram as últimas - não havia mais nenhumas assim, com aquelas flores pirosas de que só as pessoas pirosas, como eu, gostam. Agarrei-as; foda-se. Um número abaixo do meu. Foda-se, foda-se, foda-se. 

Portanto, fiz o óbvio: comprei-as, não fosse o diabo tecê-las. 
Serviram-me na perfeição.
(deus, és tu?)

É preciso que se note que há já bastante tempo que queria umas do género mas ainda não tinha encontrado umas que me agradassem tanto a vista quanto a carteira. Estas custaram 11,99€ e, se dúvidas houver, fique claro que, infelizmente, o lidl não me paga para vos dizer estas coisas bonitas - é serviço público, porque eu sou boa pessoa e acredito que a minha avareza tem par neste mundo.

Falando a sério, serve este post para quebrar algum preconceito que ainda possa existir. Tenho várias peças de roupa compradas lá, todas usadas com bastante frequência (porque gente pobre não tem uma toilette para cada dia do ano), e a única que se estragou, até à data, foi a blusa mais gira de sempre que esta criatura queimou com o ferro. Yup.

Resumindo, a relação qualidade-preço da roupa é bastante boa. Pelo menos para mim.
Contudo, ainda não os perdoei por terem acabado com o pão de alho.

3 comentários:

Jota Esse disse...

Se conseguires que te paguem, avisa-me para exigir a minha parte. É que eu também me farto de lhes fazer publicidade.
O LIDL tem evoluído e não só na roupa. Quase todas as marcas deles são boas. As ferramentas e os eletrodomésticos, não são made in China: é tudo feito na Alemanha e, como dizes, muito boa relação preço/qualidade. O pão também é muito bom e têm muita variedade.
Compro lá muita roupa. Só não compro calças porque não têm provadores e sou muito esquisito com a altura do "gancho". Não gosto de calças que me prendam os movimentos. Eu sei que eles permitem trocar sem levantar problemas, mas não é prático levar as calças e depois voltar lá para devolver.
Tirando as calças, há dias em que ando vestido no LIDL quase dos pés à cabeça. Quase porque também não compro lá sapatos, porque eles não deixam experimentar. O resto é tudo "M". xD

ernesto disse...

Ahah, por acaso gosto mesmo muito da loja. Tem produtos bons a preços excelentes! Estas já são as terceiras calças que lá compro, e estou rendida, mesmo. São bastante boas :)

Lani disse...

Nunca comprei lá roupa, mas essas são bem giras! Vou andar mais atenta :)*