07/09/16

isto.

Volta e meia abro o meu blog e tenho saudades de mim: saudades de um tempo em que eu escrevia por gosto, por prazer, por paixão à escrita, à vida, ao sentir. Agora não consigo. 

Às vezes penso nisso. Penso na falta que me faz saber pôr a alma a nu, penso no tempo em que me divertia a escrever e o meu blog não parecia um diário adolescente que uso como escape para evitar fazer mais asneiras do que as que faço habitualmente: nunca me resta mais nada a dizer. 

Às vezes apetece-me pedir desculpa. Eu também não gosto do cinderela agora; é o reflexo de um estado emocional de que não me orgulho. É a prova de que não está tudo bem, de que ainda não consegui voltar a mim depois das últimas idas ao tapete. É a prova de que toda eu sou medos e anseios absurdos, de que a minha necessidade de me proteger é tal que sou cada vez mais insegura. A prova de que me isolo, de que fujo de tudo o que representa uma ameaça para a minha infelicidade: tudo o que me possa fazer feliz é bem vindo, mas não é de confiança.

Volta e meia apetece-me apagar isto, mas depois deixo-me inundar por uma réstia de esperança e fico. Fico à espera de melhores dias, de melhores sentimentos, de melhores histórias.
E, quando der por isso, volto a ser mais feliz.

2 comentários:

Agridoce disse...

São fases. São só fases. E faz-te bem despejar aqui o que vai nessa cabeça.

Zé do Pipo disse...

Também tenho saudades da Patrícia Espanca... :/