30/09/16

lógica

Quando acharem que as gajas são complicadas, lembrem-se disto:

Há um espécime, do sexo masculino, de quem eu gostei mesmo a sério durante quase dois anos. O moço teve - e tem - problemas sérios e eu fiquei ali, firme e segura de que nunca o abandonaria, desse por onde desse. Aturei birras dele, semanas sem me falar, por compreender que a situação era complicada e eu estava disposta a continuar ali. Porque gostava dele e porque nada mudava entre nós.

Foram semanas, meses, a chorar baba e ranho por causa de um tipo que se comportava de forma muito pouco simpática em relação a mim. Foram meses em que corri atrás dele para o tentar confortar quando eu própria precisava de colo, numa altura em que a minha vida estava um caos.

Mandou-me embora: continuaríamos amigos mas ele já não gostava de mim como antes. Queria que seguisse em frente; resisti, ainda assim, durante meses. Ele é parvo mas vale a pena, juro que vale; apesar de tudo, eu compreendia-o. Mas um dia cansei-me: não dava para continuar a bater com a cabeça nas paredes por alguém assim.

Segui em frente e ele foi o primeiro a saber; não soube lidar com o facto de eu lhe ter dito que os meus sentimentos em relação a ele tinham mudado, mas disfarçou. Ficou enciumado quando soube que tinha começado a sair com outra pessoa, mas também se aguentou. Depois percebeu que as coisas tinham avançado, que estavam mais sérias e que eu tinha, finalmente, conseguido arrumá-lo na posição em que ele me pediu que o colocasse.

Mal me fala desde então.

4 comentários:

C.N. Gil disse...

Não, isso não é complicado...

...é só estúpido!

:)

VerdezOlhos disse...

Dor de couto é lixada :P Ainda bem que te conseguiste libertar desse espécimen!

Agridoce disse...

Nós podemos ser complicadas... Mas eles são crianças pequenas que amuam e fazem birras irracionais...

Zé do Pipo disse...

Se calhar o gajo nasceu com ovários e ainda não deu por isso. eheheh