24/10/16

a paz no meio do caos

As pessoas desiludem-nos porque nós deixamos: convencemo-nos de que elas podem ser mais e melhor, de que podem ser os nossos super-heróis e salvar-nos das tormentas que parecem não cessar. Mas não podem: ninguém nos pode salvar nos dias maus, ninguém nos pode tirar do inferno, muitas vezes criado por nós, em que vivemos, ninguém nos pode apagar o passado nem acabar com a maré de azar em que parecemos ter mergulhado.

É um erro achar que uma pessoa pode ser mais do que uma pessoa: se esperarmos que alguém desempenhe um papel heróico na nossa vida, vamos mesmo desapontar-nos. Os super heróis são os outros: o amigo que fez mais de 100km e passou duas horas a ver-me chorar, a amiga que me deixa acampar no sofá dela, a todos os que mal me conhecem no hospital e me encheram de abraços e beijos inesperadamente. Esses são os verdadeiros heróis: aqueles de quem eu não esperava absolutamente nada e, só por isso, não poderiam ter-me surpreendido mais, não poderiam ter-me feito melhor. E devolveram-me o ânimo: caramba, não estou sozinha! Há sempre mais e melhor no mundo do que aquilo que somos capazes de ver quando estamos em desespero.

E por isso tudo, obrigada. Obrigada a todos.

2 comentários:

Agridoce disse...

Ninguém nos pode salvar, mas há sempre quem nos possa dar a mão e ajudar um bocadinho :)

Zé do Pipo disse...

Ninguém nos pode salvar e são poucos os que tentam. :/