05/10/16

O meu problema é que eu continuo a não me achar merecedora das coisas boas - ainda estou aqui a achar que é muito bem feito que tenha acabado assim, que mereço cada lágrima que me cai compulsivamente dos olhos - eu e a minha mania de gostar das coisas, eu e o meu vício de acreditar na felicidade.

Eu nunca tive sorte: não nasci para viver contos de fadas e para ser feliz por aí. Já devia ter aprendido que tudo o que é bom tem um prazo de validade muito curto na minha vida.
E já devia saber que era exatamente assim que ia acabar.

2 comentários:

Agridoce disse...

O teu problema é mesmo esse!... É não acreditares em ti e estares tão preocupada com as dúvidas e incertezas, que não gozas o momento.

Não sei ao certo o que se passou mas se quiseres falar, sabes onde estou.

Um grande beijinho!

Ju. disse...

Não devias nada, sua tona! Porque tu és, efetivamente, merecedora de coisas boas! E tens de ser a primeira a perceber isso!
Beijinho*