15/07/16

de nice.

O que eu mais gosto nisso de se ser português é que ainda no domingo estávamos todos com um ódio de morte aos franceses mas hoje, 84 mortes inocentes depois, não há ódio de estimação alimentado pelo futebol sujo que aniquile a compaixão.

Ninguém merece morrer só porque alguém se lembrou de sair por aí a matar. Ninguém merece morrer injustamente, inocentemente, inesperadamente. Ninguém.
E é de lamentar o mundo em que vivemos.

2 comentários:

homem do leme disse...

É pena não podermos ressuscitar o filho da puta e amarrá-lo por uma pata ao gancho de reboque de um carro e levá-lo a "passear" pela cidade.
Estes burgessos metem-me um nojo do caraças.
Odeio estes porcos de merda!!

Joana disse...

Eu posso ser inocente mas eu acredito que os Portugueses enquanto povo não têm a capacidade de odiar de verdade... Reclamamos muito, dizemos coisas espontaneamente, temos os nossos preconceitos mas temos um bom coração. É uma das coisas que me dá orgulho e espero nunca ter de deixar de acreditar nesta bondade.