26/11/13

em pausa

Podem passar mil anos, mas eu acabo por descobrir sempre aquilo que quero sem fazer nada por isso. O problema é quando aquilo que descubro é tão mau que nem sei muito bem o que fazer com isso. 

Eu juro que achei que as pessoas já não me podiam surpreender mais, mas ainda podem. Ou a pessoa, vá - e não é pelo lado bom. Ao fim deste tempo todo, não sei se lamento mais por ele ou por mim, por tudo o que se passou. Valha-me deus.

Sem comentários: