31/12/15

afinal também refleti, mas passou logo

[há precisamente um ano atrás, ele foi das primeiras pessoas a desejar-me um bom ano. disse que não o passava comigo, mas que talvez este ano fosse diferente. ri-me. achei-o tonto por pensar que nos íamos mesmo aguentar um ano, que escapávamos às lanças afiadas da distância, que algum sentimento pudesse resistir tanto tempo nestas condições. e hoje, um ano passado, continuamos juntos - não hoje, por motivos diferentes e pouco felizes, mas juntos ainda assim. conseguimos, resistimos a um ano. e o sentimento, essa coisinha ténue que eu achava que desapareceria ao fim de pouco tempo, triplicou. enraizou-se. e, no final das contas, essa é talvez a única coisa boa que levo deste ano.
mas, ainda assim, acho que não poderia pedir melhor.]

3 comentários:

Panda disse...

Que bonito, ernesto :) Feliz Ano Novo :)

-H disse...

Que bom :)
Boas entradas!

esperto que nem um alho disse...

E que daqui por um ano, ou vinte, ou trinta, continue a ser a melhor coisa da vida. Vai haver sempre períodos com altos e baixos, mas aprender a ganhar embalagem nas descidas, torna as subidas mais fáceis.
E se, de vez em quando, deixares os tomates guardados na gaveta, não perdes nada. xD