06/12/15

então e agora, o que é que te deu para apagares tudo, ó cinderela?

Não sei.
Ou vá, sei: não gostava daquilo em que tinha transformado o meu blog. Não gostava de o ter transformado num muro das lamentações, e gostava ainda menos do facto de parecer que me esqueci do verdadeiro motivo para estar aqui: eu gosto de escrever, porra!

Isto nunca foi um diário, nunca quis que isto fosse um oh-meu-deus-hoje-comprei-três-camisolas-dois-vernizes-e-umas-cuecas; sempre pensei nos posts como apontamentos, como formas de guardar o que estava a sentir naquele momento. Sempre foi isso que me apaixonou, tudo o resto é trivial.

Nos últimos tempos, eu olhava para o que escrevia e aquela não era eu. Pelo menos, não aquele eu que criou um blog por puro amor à escrita ou pela sensação de que podia sempre revisitar o passado de cada vez que voltava a ler o que escreveu um dia. E era esso o lado bom de tudo isto, depois deixou de o ser.

As coisas mudaram muito, já o disse. Ultimamente, ler sobre o passado era só uma forma de me relembrar de tudo o que já não é, de tudo o que já não sou. Era torturar-me com histórias antigas que eu sei que tenho de enterrar bem fundo, antes que sejam elas a enterrar-me a mim. Era deixar, à vista de todos, todos os meus encontros e desencontros, todos os dias de raiva, de frustração, de tristeza, premiados com meia dúzia de minutos de felicidade. Acreditem quando vos digo que as coisas não estão fáceis para mim, porque não estão mesmo, mas o cinderela sempre foi o sítio onde eu falava a sério a brincar, e é isso que eu quero que volte a ser.

Ou talvez não, nunca se sabe - mas, por agora, ficamos assim: começámos de novo, tentamos de novo, e amanhã logo se vê.
Bem vindos de volta, meus psicopatas!

6 comentários:

Annie disse...

Ás vezes a recomeço é necessário . Ás vezes , quando nos damos conta já somos algo que não queríamos ser ou fizémos algo que não queríamos fazer e , no momento em que nos damos conta é necessário fazer algo .
Anyway , seguidor que é seguidor está aqui para ti
*inserir frase filosófica para terminar comentário tipo yolo ou carpe diem ou bora comer bolachas*

ernesto disse...

You got me at «bora comer bolachas» ;)

Panda disse...

Força no recomeço. Às vezes traz paz de espírito! :)

esperto que nem um alho disse...

Mentia se dissesse que gostava do que tens escrito ultimamente, mas o blog é um pouco isso que queres contrariar. É o reflexo do nosso estado de espírito, um pouco "muro de lamentações", o eco dos nossos gritos e, desse ponto de vista, só tens que mudar o que tu própria não gostas.
Talvez precises mais de mudar de estado de espírito, do que de blog. eheheheh

Annie disse...

ahahah é uma frase filosófica que converte muita gente :P

Esse disse...

O blog é teu, fazes o que quiseres :)