28/12/15

estou a ficar domável, socorro

Uma das expressões que sempre detestei foi o querida. Por mais que seja, aparentemente, inocente e até doce, parece-me caber demasiado bem em discussões, só para enervar, ou em amantes que deixam os respetivos marido e mulher em casa para irem pinar para um hotel cinco estrelas. 

Também me lembram aquelas criaturas que bebem café com o mindinho espetado no ar, como se estivessem a tentar captar a rádio, e falam como se estivessem permanentemente constipadas. Sempre detestei o querida, sempre me pareceu impossível conseguir não ter uma crise se alguém tivesse a infeliz ideia de me tratar assim.

Depois ele apareceu e sabe deus o que um querida me faz. E um adoro-te querida pode até ser frase de amante, de tia, de puta sarcástica, mas sabe bem, oh se sabe.

4 comentários:

Agridoce disse...

Ahahah que "querida" :)

-H disse...

Confesso que achei alguma piada a este post, dizem que o amor muda as pessoas..talvez seja verdade hahah

esperto que nem um alho disse...

Oh querida, não te chateies. ahahahah

Luna disse...

Eu uso expressões como "ah, é muito querida/querido" para dizer que alguém é muito simpático, embora use muitas mais vezes o "simpatico", mas quando é o meu namorado a chamar-me ainda é um pouco esquisito por ser no sentido amoroso mesmo...:p