24 de fevereiro de 2018

já que somos tu-cá-tu-lá

Isto já aconteceu há mais de um ano mas, ontem, e sem saber porquê, lembrei-me disto e, como já perdi a vergonha na cara, acho que está na altura de partilhar com o mundo o quão retardada eu consigo ser.

Foi numa das muitas vezes que me dirigi ao centro de saúde por conta de um problema chato e persistente - comecei por descrever os sintomas, até que a médica pergunta:

- tem vesículas?

[Pausa.
Como assim?! Estará relacionado? Estou mais frágil, mais vulnerável, agora que sou uma pessoa incompleta? O que é que poderia ter a ver uma coisa com a outra? Será que ouvi mal? É por isso que ando há meses nesta vida e continuo com problemas? Que sentido fará tudo isto?]

Depois de todo um drama interior, respondo-lhe, baixinho:

- já não tenho vesícula, não.


Claro que ela se referia a erupções cutâneas - mas eu gosto de acreditar que isto foi num dia em que os meus neurónios fizeram greve.

Sem comentários: