23/02/16

coisas de que não me orgulho

Imaginem isto:

vocês vivem com uma gaja (ou com um gajo, wtv). A dada altura, ela passa-se com vocês mal entram em casa, por motivos que vocês nem entendem. Grita-vos. Grita muito com vocês por tudo o que lhe fizeram hoje, ontem e há 20 anos atrás. Se for preciso, gritam com vocês até pelo que vocês não fizeram, só porque elas estão inseguras e decidem atirar o barro à parede. Atiram-vos com um sapato à testa e choram baba e ranho. Fazem as malas e juram a pés juntos que vocês nunca mais lhes vão pôr a vista em cima; saem de casa.

Passam três dias a chorar e, ao quarto, recuperam a capacidade de raciocínio. Entendem o que disseram, compreendem que não deviam ter disparado três nanossegundos depois de vocês terem entrado em casa. Que valia a pena ouvir e que, se calhar, o vosso caso é mesmo mau - que é, senhores, que é - e que ficar zangada de cada vez que vocês inspiram com um bocadinho mais de força já é o fenómeno da tpm instalado o mês todo. E então querem voltar para casa - envergonhadas, que estão, usam a chavita que estava atrás da caixa de correio, instalam-se no vosso sofá e ficam a atirar-vos bombons, à distância, a ver se a coisa pega, sempre sem fazer demasiado barulho antes que vocês a atirem da janela. 

Ouçam a cinderela, porque a gaja sabe o que diz: nunca façam isto. É um tanto ou quanto ingrato e roça a bipolaridade; ou aprendem a controlar-se, ou mais vale não voltarem mesmo. Mas isto, claro, são vocês.

A cinderela volta porque é mesmo bipolar, desequilibrada e faz o que lhe apetece.

7 comentários:

esperto que nem um alho disse...

Até porque a "chavita" pode já não estar atrás da caixa do correio e as noites estão demasiado frias para dormir ao relento.
Tens que ter calma, pá. E que tal pensar um bocadinho antes de magoar as pessoas? :/

ernesto disse...

Não é uma situação fácil de explicar, muito menos de julgar :\

esperto que nem um alho disse...

Lá tás tu a arreganhar os dentes pra mim... eheheh
Não te estou a julgar. Só apelei ao bom senso que com que devíamos tomar certas decisões. Eu sei que não é fácil, mas querias o quê? que te incentivasse a seres ainda mais revoltada? eheheh
E então, as coisas já estão no bom caminho?
Espero que sim. E não me mordas, "faxabor". xD

ernesto disse...

Não estava a arreganhar os dentes xD estava a dizer que não é fácil julgar, no âmbito de ser mesmo difícil saber até que ponto tenho ou não razão. A situação em si é mesmo muito, muito, complicada.

E não, não está no bom caminho. Está num péssimo caminho, aliás.

esperto que nem um alho disse...

Então, se calhar, está na hora de parares para pensar. A sério, às vezes ficamos "cegos" com cenas que nos estão a acontecer e não conseguimos ver o caminho certo. E apesar de não ser bom (nem gostar de) a dar conselhos, desta vez isto é um conselho. Se o assunto é sério, para um pouco, reprime o instinto e pensa, porque há coisas que fazemos sob tensão que nunca mais têm remédio. Não sei do que se trata, nem quero saber, mas pressinto que é algo mais grave do que os amuos habituais, ou uma crise de TPM. Por isso arrisco o conselho, mesmo que a seguir me mandes à merda mais às lições de moral.
Não tomes decisões que podem afetar, irremediavelmente, a tua vida e a de terceiros, sem ponderar muito sobre as consequências.
Vá, ganha juízo. :|

ernesto disse...

É uma situação difícil, mas parece que eu não sei viver com coisas fáceis. Deve ser por isso que me acontecem sempre as coisas mais improváveis xD

esperto que nem um alho disse...

Pelo menos não podem dizer que és "uma mulher de vida fácil". xD