13/09/13

querida, fofa e sociável, prazer

Tenho a mania de me perguntar se há mais alguma coisa que me possa acontecer, porque sou burra e está difícil de perceber é óbvio que sim. Há sempre mais alguma merda para me acontecer.

Desta vez, foi um gajo cromo e labrego que dói, a tentar meter conversa. Isto não é novidade, porque a gente decente foge de mim a sete pés, mas pareço ser um íman para labregos. Claro que, se eu já de bom humor sou má, de mau humor sou insuportável e tenho a sensibilidade de uma torradeira, o que resulta em respostas de que não me orgulho.

A criatura começou a insistir, que eu não gostava dele sem motivo, e que se eu o conhecesse ia mudar de ideias e blá blá blá. Ignorei-o. Perguntou-me se podia desabafar comigo, porque eu agora tenho ar de mestre mambo e estou com muita paciência para ouvir as frustrações sexuais dos outros. 

Talvez não tenha sido muito simpático da minha parte ter-lhe dito que não o queria conhecer para nada, porque conhecia o suficiente para saber que ele era um puto labrego, irritante e convencido, e que tinha mais do que fazer do que saber da vida frustrante dele. E talvez isto me renda um lugar na primeira fila no inferno mas - valha-me isso! - o gajo não voltou a falar.

1 comentário:

fusion disse...

Viu logo que tinhas uns colhões maiores que os dele. ahahahahahahah