30/04/13

lembrei-me

Aos 13 anos, eu tinha uma paixão assolapada por um rapazinho com quem me dava mal que eu sei lá - pensando bem, eu sempre tive uma queda para o masoquismo - e, ao contrário de agora que só a ideia de o rapazinho descobrir me dá vontade de emigrar para nárnia, eu era muito... como dizer? Afetuosa. Não, talvez não seja essa a palavra certa, mas eu fazia questão de lhe dizer, com todas as letras, que gostava dele.   Ou melhor, que o amava.

Mas isto não se fica por aqui. Num período de loucura, chateei-o tanto, que agora me pergunto o que raio tinha eu na cabeça. Garanto-vos, eu fui o pior pesadelo do rapaz. E ontem, lembrei-me do segredo mais vergonhoso alguma vez revelado no quem é que deu erva à cinderela. Uma vez, enviei-lhe a seguinte mensagem: se eu fosse um rio, queria ser o rio TUA! (ou, provavelmente, xe eu foxe 1 rio, keria xer o rio TUA, porque eu também tive essa fase).

Na altura, lembrei-me de lhe dizer aquilo e pareceu-me bonito, dizer-lhe que queria ser dele. E pronto, é por isto que eu nunca vou ter um namorado. Sou demasiado boa, senhores, demasiado para qualquer um.

agendado

2 comentários:

somaijum disse...

Azeda como tens andado, agora eras mais o rio lima. :)

Jedi Master Atomic disse...

looooool

Vais ter um namorado vais. Não vai ser é quando estiveres à espera.