07/10/13

é triste

Quando ontem comecei a ver o factor x, já não fui a tempo de ouvir aquela patrícia gameiro a cantar a la vie em rose da édith piaf. Só agora é que vi.

O que aqui vou confessar é deprimente, injustificável com o facto de eu ter frança enraizada no coração desde pequena e ouvir música francesa para matar saudades, mas preciso que se mantenham concentrados no meu lado cabra-machona-sem-sentimentos,  porque não é preciso destruir toda uma reputação num só post. Juro que me arrepiei. Não, foi pior do que me arrepiar; eu chorei.

Apedrejem-me.

4 comentários:

the reader disse...

Muito talento escondido por este país fora... :)

patrícia disse...

Sim, sem dúvida. Mas sabes o que é? Revolta-me ver a descrença no talento dela, por parte do júri, só por ela parecer uma rapariga simples! E mesmo quando ele diz «só se eu for um tipo muito preconceituoso... mas acho que não sou», e manda-a cantar outra vez. Pelo amor de deus! Era preciso tantas dúvidas em relação ao talento da mulher?
Ela interpretou a édith piaf na perfeição!

E pronto, estou revoltada ahah

the reader disse...

Sabes que eu acredito que aquilo é tudo "fita"? Ninguém chega àquela fase do concurso sem primeiro ter sido ouvida.
Quando foi da Susan Boyle, na Inglaterra e do tipo que cantou opera, fizeram a mesma cara de espanto.
A minha revolta é mais por me parecer incrível como é que pessoas tão talentosas chegam a esta idade sem nunca terem tido oportunidade de se revelarem.
E quantas mais haverá que nunca se chegam a revelar?...
É por isso que acho que devias tentar a tua sorte na escrita, bem como "a outra" no desenho (ou numa outra vertente das artes), em vez de andarem a "marrar" na matemática, como se isso fosse o mais importante da vida. :\

patrícia disse...

É um facto... normalmente há uma pré-audição, nem tinha pensado nisso... seja de que maneira for, eles, especialmente o do meio, tratam-na de uma forma que não compreendo -.-

Ohhhh, não tinha grande sorte nessa área ahahah