04/02/15

ou como alguém diz, vai à volta que por aí não passas.

Tinha desistido de dar importância suficiente ao assunto para vir aqui escrever sobre ele, mas há dias um comentador anónimo perguntou-me se o mocinho de quem eu aqui tenho falado é o mesmo que me trocou por uma miúda com celulite nos joelhos, e a resposta é... não, claro que não!

Por muita falta de amor próprio que eu tenha, já aprendi que mereço bem melhor do que um gajo que acredita que eu lhe dou hipótese de me mentir duas vezes e ele continua cá para contar a história. Ups.

No entanto, ele continua nas vidas dele, talvez numa tentativa frustrada de reaproximação. Depois de me ter desbloqueado no fb, sabe-se lá por alma de quem, decidiu adicionar-me, há coisa de umas duas semanas, e vai metendo gosto nas minhas fotos, como quem não quer a coisa. Não sei se vai tentar ou não falar comigo, apesar de me parecer provável que acabe por o fazer - o que ele ainda não sabe é que vai para o caralho com carta de recomendação. As mommy says, eu sou um tanto ou quanto implacável e, se perder a confiança, se deixar de gostar, é mesmo melhor meterem-se a milhas.

De qualquer forma, fordalóbeógod, eu prefiro um gajo que esteja consciente de que eu sou a única portadora de ovários na relação. Se tudo correr bem.

Sem comentários: