31/05/14

evil queen

Há dias em que eu consigo passar bem por uma moça calma e sossegada, mas há outros em que fico particularmente insuportável e nem o diabo quer nada comigo - ontem foi um desses dias. Não sei muito bem porquê, mas fiquei super irrequieta e com uma tendência desastrosa para fazer asneira. Deu merda.

Tudo começou quando pequei - pratiquei o facejacking. Peguei no telemóvel de uma amiga minha e comecei a escrever estados à toa. Depois da mãe lhe ter ligado, seguida de uma amiga, ambas a querer saber se a mocinha estava pura ou mais pedrada do que a tia amy vinhodacasa, achei melhor parar com os atentados ao mural e passar-me para o chat.

Correu tudo bem enquanto eu me limitei a mandar mensagens como tens umas cuecas a mais? é que eu estou na aula, achei que era só um peidito e borrei-me toda. o que é que eu faço?, ou quando é que saímos juntos, lindo? pago-te um panaché!. Entretanto, e no seguimento de um outro estado que dizia estou ansiosa pela expo! mal posso esperar para ver o tony carreira mais uma vez, um rapazito com um atraso mental - juro, este tem mesmo um atraso mental - decidiu meter conversa e eu decidi cometer o erro de lhe responder, convencida de que ele desistiria. Nada poderia ter sido pior.

A última vez que tive acesso ao dito chat, ele estava a enviar mensagens aproximadamente de 30 em 30 segundos a pedir boleia para o dito concerto, a oferecer-se para lhe levar uma pen com músicas do querido tony, a implorar-lhe que leve uma máquina fotográfica para poderem tirar fotos juntos no concerto, a dizer-lhe que se vão divertir muito. E que lhe paga um panaché.

Vou para a primeira fila do inferno, não vou?

Sem comentários: