22 de setembro de 2014

saiam-me da frente, caralho

Não sou pela violência nem tenho tendência para ir à procura de problemas - mas tenho uma língua afiada e é realmente difícil alguém me conseguir calar.

Ora, eu estou chateada, entediada e triste para caralho, e o amiguinho adorável do rapaz, que decidiu inventar a teoria brilhante de que a minha pseudo-relação ainda não acabou, dizendo que estas eram palavras da minha rica bichinha, decidiu meter conversa para saber como vão as coisas entre mim e o moço. Está-se mesmo a ver que alguém vai sair desancado, num é? Pois. 

Sem comentários: