09/05/16

desvesiculada e desfeliz

Gorda profissional que só eu, sempre fugi das dietas como o diabo foge da cruz - let's face it: eu adoro comer. Gorda, mas uma gorda feliz e de bandulho cheio. 

Agora sinto que o meu estômago se transformou num desses activistas de bolso que é incapaz de passar um dia sem iniciar uma revolução. É difícil, deixem-me que vos diga, ignorar os manifestos de dor deste amiguinho que vive comigo vai quase pra 21 anos. 

Lamentem-lhe a sorte, alforrecas. Ele está mais vazio do que a minha alma.

1 comentário:

homem do leme disse...

Agora que ficaste sem vesícula, podias ser menos amarga e destilares menos fel contra a humanidade. eheheh