21/05/16

puta de vida

Tenho mil e um motivos para estar zangada com ele - e estou. E tenho razão. Pelo menos, numas partes, nas outras talvez seja a minha mente dramática a trair-me, talvez não. Não sei. Mas tenho um problema: gosto dele, apesar de tudo, porque não sei ser dessa gente que liga e desliga os sentimentos conforme a conveniência.

Deixei-me levar pela raiva: esta pessoa não sou eu e não me orgulho do que fiz. Apetece-me desfazer o mal feito, apetece-me pedir desculpas, apetece-me voltar atrás, porque ele me está a magoar mas magoá-lo de volta nunca foi uma opção viável para mim. E, neste momento, tenho um nó na garganta e apetece-me vomitar.

Desculpa, meu amor, desculpa. Mereces isto e muito mais, mas nem assim deixa de me doer só de pensar que te estou a fazer mal.

3 comentários:

homem do leme disse...

Se vais vomitar é melhor desatares primeiro o nó na garganta, ou ainda "arrebentas". ahahah

C. disse...

Não é correcto mas pelo o que percebi ele também tem culpas no cartório...?

ernesto disse...

C, é complicado de explicar. Ele tem culpa, eu tenho culpa. Não é fácil mesmo.