17/05/16

os portugueses podem sair de portugal, mas portugal nunca sai dos portugueses

Tal como já o disse várias vezes, a minha terceira avó - atualmente, em frança - está gravemente doente, numa fase iô-iô em que alterna entre dias bons e dias maus. Hoje foi um dia bom e recebeu uma visita: a comadre.

Passar uma grande parte das suas vidas em frança não as tornou menos portuguesíssimas: em vez de flores, uma revista, um livro, uma dedicatória ou qualquer outra merda absolutamente inútil, a comadre decidiu levar-lhe pão, queijo e presunto serrano, e cervejão.

E é isto.

Sem comentários: