08/12/13

a-d-o-r-o

Não quero parecer um poço de veneno ou assim, mas acho incrível a capacidade das pessoas de se transformarem as fãs número um de todas as pessoas que morrem. Ainda há uma semana andavam todas a chorar pelo paul walker, e esta semana já temos o madiba a reinar nas redes sociais. Alforrecas ranhosas, ele foi de facto uma grande pessoa, mas já o era em vida, ok? 

E depois o que eu gosto mais é daquela tendência para juntar frases às fotos. Frases que nem são dele. Tipo aquela do eu sou o capitão da minha alma. Entre outras, esta foi a que mais me chamou a atenção porque a minha mente treinada para a maldade não parava de a associar àquela música da rita redshoes, cuja letra consiste em dizer 923892 vezes i'm the captain of my soul, e então fui investigar.

Afinal, não é da sapatos-vermelhos, mas é de um poeta inglês chamado william ernest henley. É o último verso do poema invictus (It matters not how strait the gate,/ how charged with punishments the scroll,/ I am the master of my fate/ I am the captain of my soul.), e a única coisa que o mandela tem a ver com isto, é que o recitou aos outros reclusos enquanto esteve preso. Mas tudo bem. Se quiserem podem atribuir-me a autoria do cântico negro, porque eu também o sei quase todo de cor e recito-o porque sou muito divertida e realmente interessante. 

Sei lá. Sou tão inocente que às vezes ainda acredito num mundo onde as pessoas vão perceber que não basta escrever no google frases do mandela e espetar com uma no fb para se parecer culto. Às vezes, conseguem exatamente o contrário, ou então sou só eu que sou má.

Sem comentários: