26/03/14

mensagens que não vou enviar

Há sempre um momento em que sabes que não te resta outra alternativa senão bater com a porta e fazer de conta que ela nunca esteve aberta. No teu caso, esse tempo já passou há muito - deixei-a entreaberta, convencida de que a havia fechado; escondi as chaves algures, onde as fosses encontrar. Não estou certa de que compreendas as metáforas, e também já não sei se me interessa. Cansei-me. Honestamente, estou farta de ti e desse teu lado conas - recuso-me a perder mais um único dia contigo. Espero, sinceramente, que cresças, que atines. E que sejas feliz, sim - porque, mesmo anormal, eu até acredito que mereças. Adeus.

Sem comentários: