30 de outubro de 2014

quase bom

Houve uma altura da minha vida em que eu achei que era realmente chato ser uma forever alone que vai acabar com um bigode de meter respeito a qualquer macho e a viver numa casa com trinta e dois gatos; depois percebi que, assim como assim, tem as suas vantagens.

Solteira e boa menina, livre que nem um passarinho, há sempre quem esteja disponível para me convidar para almoços, festanças e cenas que tais, quem me pague bebidas, quem me pague o lanche. Não tenho por onde me queixar.

mentira, tenho sim. trocava isto tudo pelo moço na santa paz de nosso senhor, mas shiuuu. isso não se diz a ninguém.

Sem comentários: