02/03/15

pretty much sums it up

Se se estão a perguntar se eu terei sobrevivido ao resto do dia com um início tão mau, a resposta é sim - mas acreditem que só por ser muito teimosa e insistir em não espetar um qualquer objeto pontiagudo na carótida.

Estava à espera de que o meu humor melhorasse, mas não melhorou - ao invés, ficou só mais instável e fiquei a oscilar entre o vou-só-ali-chorar-para-o-cantinho e o se-voltas-a-respirar-num-raio-de-3-km-eu-juro-que-te-mato-sem-dó-nem-piedade. Isto só para deixar um pequeno conselho: se algum dia vos derem a escolher entre lidar comigo cansada, deprimida e com o período ou entrar na jaula dos leões e vocês tencionarem viver mais uns tempos, escolham os leões. Pela vossa saúde!

E então eu tinha marcado a minha segunda avaliação no ginásio para hoje, inocentemente e sem fazer ideia de que ia ser presenteada com um despertar especial e não deu para a desmarcar; ou seja, long story short, é sempre bom ter de fazer o teste de cooper (a ideia é percorrer a maior distância possível em 12 minutos e 10 segundos, o que implica correr) enquanto tenho partes de mim que nunca viram o sol a chorar lágrimas de sangue e a implorarem-me que páre, porque sabe deus - ou vá, deus não sabe porque supostamente é um gajo, mas como é um gajo especial já deve ter ouvido falar - a dificuldade que é andar nestas vidas em dias difícieis, tal como o explicou a Me (actually, eu não costumo ler o blog dela, só li este post graças ao fb, desculpem qualquer coisinha se não for este o nome que ela usa mas desconfio de que é). E pronto, posto isto vou fazer os possíveis para não cometer o suicídio durante a próxima hora e meia só para me poder orgulhar de ter sobrevivido, de pé e quase sem dormir, a um desses dias em que mais valia não acordar.

Sem comentários: