01/12/13

patrícia e a sorte

Ontem, vi um casal gay completamente adorável. Não me perguntem porquê, porque os rapazinhos nem eram bonitos por aí além, mas estavam a ser tão queridos um para o outro que acabei por derreter. Ou isso ou por lhes admirar a coragem - porque ainda há muita mente fechada por aí.

Claro que as atrasadas mentais das duas patrícias decidiram por bem comentar entre elas que os moços estavam queridos que eu sei lá e mais não sei o quê. Ora, é igualmente óbvio que eles se aperceberam de que estávamos a falar sobre eles, e provavelmente acharam que era por mal. Não era. Não era mesmo. É por isto que eu não tenho amigos.

Ten points from gryffindor.

Sem comentários: