02/01/15

apontamentos

Não costumo ser supersticiosa mas sempre acreditei, ainda que meio inconscientemente, que a minha maneira de estar na passagem de ano iria influenciar de alguma forma o dito ano que iria começar - como se eu tivesse de estar no meu melhor para garantir que as coisas iam correr bem.

Portanto, prevê-se que 2015 seja ainda mais estranho, atribulado e surpreendente do que o ano passado - e é o que se quer porque as águas paradas começam a cheirar mal ao fim de um tempo.

Sem comentários: