02/01/15

cinderela sobrevive a passagem de ano atribulada

O melhor de tudo é mesmo falar-se na passagem de ano quase desde a páscoa, e ai jesus que fazemos isto-isto-e-isto, e acaba-se por ir completamente de improviso porque à última da hora dá tudo para o torto; confesso que, durante uns bons 30 segundos, eu me arrependi por ter trocado o aconchego do meu lar e a dita maratona de hp pelo gelo de uma noite à beira da praia, mas entretanto deu-se aquele momento meio mágico em que uma pessoa entra numa discoteca a meio da noite e quando sai já são quase 9 da manhã, o mundo voltou a acordar e nós já nem sentimos os pés depois de tantas horas a dançar em cima de saltos altos, e mais ou menos consciente de que há muito tempo que não tinha uma noite tão boa.

Deixem-me que vos diga uma coisa: não vos digo nada. E ainda vos digo mais: só vos digo isto. 

Sem comentários: