10/02/17

as merdas que eu faço

Há muitas maneiras estúpidas de passar o tempo e eu achei que tinha atingido o auge quando dei por mim a pesquisar a diferença entre panquecas e crepes - no entanto, há formas ainda mais absurdas de uma pessoa se entreter e eu acabei de pôr outra em prática.

E qual é, cinderela?, perguntam vocês.

Quem anda pela página, já está familiarizado com a existência de uma criatura erudita que se propõe a fazer-me uma excursão aos prazeres da carne - não fosse o excesso de tempo livre, já o teria bloqueado, mas confesso que me dá um certo gozo ir vendo até onde ele é capaz de ir, e tenho-me divertido a treinar o sarcasmo.

Ele está convencido de que eu estou só a fazer-me de difícil mas que até era moça para lhe cair aos pés - não estou. A verdade é que, mesmo que em algum momento ele tivesse tido qualquer hipótese, tê-la-ia perdido quando decidiu dar numa de trolha e dizer apetece-me dar-te uma trinca. E repete, porque continua a pensar que isso surte algum efeito positivo em mim. E tu, cinderela? Eu rio-me. 

Acha que estou só armada em bad girl: para lhe provar o contrário, dei-lhe um prazo.
Tem 15 dias - e ele acha que só precisa de 10 - para me conquistar. Nem mais nem menos; só me pediu para ter o dia de hoje para me estudar. Aposto que já abriu um site brasileiro com dicas de trolha.

O pobre acredita mesmo que vai conseguir - já eu, começo a achar que arranjei matéria para escrever durante os próximos 15 dias; ou não. Na volta canso-me antes disso e mando-o de volta para o útero da mãezinha dele.

Aguardemos.

Sem comentários: