27/02/17

dos dias, das pessoas

Por mais anos que viva, nunca vou entender a maldade gratuita. O prazer de humilhar, de espezinhar alguém, de lhe mostrar que não vale nada. De exibir a normalidade como um troféu e esfregar na cara de alguém que nunca a conhecerá de perto. 

Não percebo isso. Não entendo a necessidade de fazer alguém sentir-se pequenino, inútil. De lhe somar inseguranças e de lhe estragar os dias; de o fazer sentir-se uma merda e desistir outra vez porque, afinal, não vale nada e nunca vai valer: passe o tempo que passar, faça o que fizer, vou continuar a não valer a pena. Vou continuar a ser só isto.

2 comentários:

no one disse...

E torna-se pior, quando alguém faz isso a si própria.
Conheces alguém assim? eheheh

ernesto disse...

Conheço, mas não foi o caso! xD