19/04/15

enerva-me um bocado

Mea culpa - não resisto ao ídolos e muito menos a umas boas gargalhadas à conta dos cromos. Mas há um lado triste por trás disto tudo. Há um lado imperdoável.

Enquanto nós nos rimos de alguém ou de algum comentário maldoso dos jurados, há alguém que vê um sonho morrer. Há alguém que se vê ridicularizado pelo sonho que tem.
Se todos cantamos bem? Definitivamente, não. Mas há maneiras mais simpáticas e humanas de o dizer, especialmente quando se está consciente de que aquilo vai ser ouvido por milhares, milhões, de pessoas. 

Toda a gente tem direito a tentar, desde que queira. Mesmo que saiba que não é assim tão bom - é um sonho, e matá-lo é matar um bocadinho de alguém.

Sem comentários: