22/02/14

tão, tão gaja

Pronto, afinal sou mesmo um bocado gaja.

A ideia era pintar o cabelo de vermelho, do vermelho que eu quero há séculos - não havia. Como quase ninguém quer aquela cor e só a usam para madeixas, não deram importância ao facto de já haver menos de metade de um tubo e eu tinha demasiado cabelo para isso. Pintei-o de acobreado e, sinceramente, gosto mais do que julguei que seria possível.

Depois disso, apeteceu-me cortá-lo. Passei meses à espera que ele crescesse, a amaldiçoar o dia em que o tinha cortado pelos ombros; estava praticamente a meio das costas, como eu queria. Voltei a cortá-lo pelos ombros. Siga.

Sem comentários: