11/02/14

dá-me vontade de rir

A inocência do gajo. Sério. Até me podia fazer impressão saber que agora, por qualquer motivo, a patrícia anda nas bocas do povinho circundante dele - mas não faz. Ou faz, mas nem é por mim. O que eu estou a adorar é vê-lo contente no meio daquela gente que o ajuda a atacar-me à descarada, enquanto o ataca a ele pelas costas. 

Serve-me de guilty pleasure, mas chego a ter pena. Nem um anormal daqueles merece acabar no meio de tanta víbora junta. Ainda para mais, cego e burro que só ele. Enfim.

Sem comentários: