03/02/14

minha pequena,

Não confundas as coisas - ainda ontem te contavam histórias bonitas antes de adormeceres, e hoje já crês viver uma. Não é bem assim, minha pequena. Os príncipes encantados não existem, e os contos de fada são só contos. Na vida real, não há fada madrinha que te meta bonita e te mande à festa, nem príncipe encantado que se apaixone por ti enquanto estás morta num caixão de vidro. 

Não queiras crescer à pressa, tens tempo. Esse que dizes ser o homem da tua vida, ainda mal começou a fazer a barba e, com sorte, ainda nem sabe o que é ter pêlos no peito. Não lhe chames homem. Muito menos lhe concedas o título de homem da tua vida. Tens muito tempo para conhecer homens a sério, que te mostrem o quão errada estás agora, minha pequena, ao achar que nunca haverá ninguém igual. Eu atrevo-me a dizer que espero mesmo que não exista ninguém igual. Mereces alguém mil vezes melhor, mas antes, precisas de perceber que mereces melhor.

Tens de aprender a não ceder às palavras. A não chamar amor à primeira pessoa que te diz coisas bonitas. As pessoas mentem. A não achar que amas alguém só porque despertou em ti toda a compaixão do mundo e achas que precisas de a proteger para sempre. As pessoas mentem muitas vezes. Não sejas demasiado boa; ser cabra não é bonito mas evita muita deceção. Um dia vais encontrar o amor a sério. Um dia talvez entendas mesmo quem é o homem da tua vida - ou talvez não. Mas, minha pequena, o homem da tua vida não vai ser esse para quem tu vais olhar e conseguir enumerar cinco razões, maioritariamente começadas por eu preciso, ele precisa, para continuarem juntos. O homem da tua vida vai ser aquele para quem tu vais olhar todos os dias, e nunca entender como que raio encaixam tão bem. Porque é que nunca nada parece fazer tanto sentido sem ele.

Sem comentários: