27/01/17

aguardando por dias melhores

Ao terceiro dia de clausura, saí da cama para o sofá. Vi a luz do sol porque abri as lâminas das portadas e fiquei a tentar manter-me acordada mas as pequenas sestas são inevitáveis e, quando tento desfilar o fat ass pela casa, sinto-me tonta de tanto sono - ontem quase tive um ataque cardíaco porque, atordoada como estou, por momentos achei que tinha tomado quatro comprimidos em vez de dois, e já me via a falecer com uma overdose de ilvico. Bem vistas as coisas, tendo em conta o efeito sonífero da coisa, no máximo acordava lá para segunda feira.

Sem comentários: