10/01/17

esta cinderela nunca aprende.

[insignificante - foi como me senti sempre. 
21 anos de uma insignificância que me consome um bocadinho mais todos os dias. como se estar ou não estar fosse exatamente a mesma coisa. como se ser ou não ser só fosse importante na minha cabeça. 21 anos com momentos onde, aqui e ali, eu achei que era importante para alguém - mas essa ilusão dura pouco, tão pouco, e causa tanta dor que quase desejo que nunca tivesse existido.
hoje é outro desses dias, dos dias em que a minha insignificância me atira para um canto e me faz lembrar de que os meus esforços para ser notada são tão inúteis quanto eu.
nunca ninguém vai fazer metade por mim daquilo que eu tento fazer pelos outros. ninguém; a mim, que nunca importo. a mim, que acabo sempre em segundo plano. a mim.
serei sempre insignificante.]

4 comentários:

Agridoce disse...

Serás insignificante enquanto continuares a esforçar-te por ser notada e enquanto esperares que os outros façam alguma por ti. Tu és quanto baste, miúda! O que queres, o que precisas, és tu, e só tu, que o deves fazer por ti. Faz o que tu queres, sem pensar nos outros, sem esperar o que quer que seja dos outros. A seu tempo, aparecerá quem te ponha em primeiro plano e te reconheça todo o valor que tu tens. Mas, para isso, tu própria tens de reconhecer o teu valor.

Anónimo disse...

Olá cinderela! Já te leio anonimamente há algum tempo e hoje tive que comentar.
Tu sabes que tens valor por ti mesma, não sabes?
Tu sabes que não precisas de te olhar nos olhos dos outros para te sentires completa, não sabes?
Tu sabes que é tens de te olhar ao espelho e de afirmares para ti mesma a jovem adulta, amiga, profissional e filha que és, não sabes?
Eu sei que ver o nosso reflexo por meio dos olhos dos outros é fácil e tem momentos de puro prazer (os tais abraços, por exemplo). Mas também temos de saber - e uso o temos porque acho que temos a mesma idade ;) - que no momento em que esse olhar for embora, nós continuamos cá, erguidas, fortes, com amor e valor próprio.

Um abraço,
Anabela

ernesto disse...

Olá, Anabela!
Muito obrigada pelo teu comentário e, para que fique registado, daqui são 21 bem medidos :)
Eu entendo isso, sim. E sem sombra de dúvida que tens toda a razão, mas confesso que é algo que tenho dificuldade em conseguir. Já gostei menos, confesso, mas ainda não gosto, o que é mau, péssimo, e me faz temer perder as poucas coisas boas que tenho na minha vida... porque nunca me lembro que, pelo menos a mim mesma, nunca hei de perder.

Beijinho :)

Anónimo disse...

Confere, também são 21 aqui deste lado.

Um grande beijinho!

Anabela