27/01/17

pequeno tutorial sobre o que não publicar no facebook se quiserem provar quem têm um QI acima dos 20

A única altura das vossas vidas em que as indiretas são engraçadas e mais ou menos aceitáveis é quando vocês têm 11 anos e estão a usar o hi5 pela primeira vez. Depois disso são só ridículas.

Nunca entendi a piada de terem o mural do fb cheio de imagens brasileiras manhosas e descrições escritas pelos donos do fb em questão, descrições começadas, preferencialmente, por há pessoas que...

Há pessoas que deviam ter vergonha na cara; 
Há pessoas que deviam trabalhar mais; 
Há pessoas mesmo burras.

E há, que as há - mas a verdade é que este tipo de discussões, mais ainda quando não passam de monólogos facebookianos, fazem todo o sentido... mas, entretanto, a pessoa passa para o nono ano e começa a parecer um bocado mal tanta pequenez de espírito.

O que me assusta é isto partir de gente adulta - gente que, com idade para ter juízo, continua a preferir este meio para atingir  terceiros: se precisam de dizer alguma coisa a alguém, façam jus à idade que têm e digam diretamente - expliquem o problema, digam o que vos desagrada, repitam-no três mil e oitocentas vezes, se for preciso, até que haja um consenso. Ou, mesmo que não haja, safoda - mas não finjam que está tudo bem se depois vão encher as redes sociais com indiretas ridículas e infantis. Isso não vos torna fortes, não vos torna fixes - acaba com toda a credibilidade que poderiam ter, arruma-vos toda a razão numa gaveta funda e, se as pessoas forem como eu, ficam à beira de ver uma amizade encerrada com um bloqueio. 

Não há pachorra para revolucionários de sofá e muito menos para gente que, sentindo-se no direito de opinar sobre a vida alheia, gasta o seu tempo a escrever indiretas achando que engrandece dessa forma. Pelo contrário... tornam-se cada vez mais insignificantes. Cada vez mais desprezíveis.

1 comentário:

no one disse...

E eu já me andava a achar ridículo por começar um em cada dois textos no Facebook, com a frase: "A Culpa É Do Benfica" eheheh